PULSE NEWS

Inscreva-se na nossa Newsletter e fique por dentro das últimas novidades, notícias e promoções da Pulse.
Nome
Email
Tenho dores no ombro. Como o exercício pode me ajudar?

Tenho dores no ombro. Como o exercício pode me ajudar?

Tenho dores no ombro. Como o exercício pode me ajudar? Nosso professor Wesley Pinheiro responde.

O complexo do ombro não é uma articulação única, mas sim um conjunto de articulações que, em sincronia, devem permitir o movimento do membro superior em uma posição que permita a função da mão. Essas articulações devem realizar movimentos concomitantes e coordenados para que seja possível elevar o membro superior, permitindo grande amplitude de movimento.

Quando algum dos movimentos articulares deixa de acontecer, seja por atraso, ou até mesmo por excesso de uma articulação em reação a outra, ocorre o que chamamos de diminuição do espaço subacromial (conhecido como “teto” do ombro), onde estruturas como tendões e bursas são danificadas por forças de compressão e atrito, gerando um quadro doloroso e de limitação de movimento.

O que isso quer dizer? Devo parar de praticar musculação?

Na maioria dos casos, não. Com ajustes no treino e alguns cuidados, é possível treinar sem dores nos ombros e manter sua rotina de treinamento.

Abaixo seguem algumas mudanças que devem ser realizadas em indivíduos com dor no ombro:

  • Evitar exercícios de elevação dos braços associado com rotação interna da glenoumeral;
  • Realizar elevação lateral no plano escapular;
  • Trocar exercícios de supinos com barra por halteres (com ângulos abaixo de 90 de abdução do ombro);
  • Evitar puxadas e remadas com antebraço pronado;
  • Incluir exercícios específicos para os músculos que atuam nos movimentos da escápula e na glenoumeral (trapézio inferior e médio; serrátil; manguito rotador).


Simple Share Buttons
Whatsapp