PULSE NEWS

Inscreva-se na nossa Newsletter e fique por dentro das últimas novidades, notícias e promoções da Pulse.
Nome
Email
homem com fadiga pós exercício

Fadiga Muscular: Entenda as causas e como acabar com ela

A fadiga muscular é um mal que muitos passam e não sabem de onde vem e como se livrar dela.

Mas fica tranquilo, neste post iremos te ajudar a entender o que é ela e as principais maneiras de tratar e se livrar dela.

Acompanhe!

O que é a fadiga muscular aguda?

Fadiga muscular aguda é uma condição em que existe uma perda momentânea da capacidade de um músculo de gerar força. 

Na prática, fadiga é a incapacidade de continuar o exercício físico ou de manter uma determinada intensidade. 

Para exemplificar, podemos pensar que o João precisa correr uma distância de 10 km em uma velocidade média de 18 km/h para ficar em uma boa colocação em uma competição de corrida de rua da sua cidade. 

Com isso, podemos dizer que João entrou em fadiga em duas situações:  

  1. Caso ele não conseguir completar os 10 km ou; 
  2. Se ele não conseguir manter a velocidade média de 18 km/h ao longo de toda a prova (isto é, não conseguir manter a intensidade).

Já na musculação, podemos dizer que uma pessoa entrou em fadiga quando ela não consegue manter a execução de repetições em algum exercício com determinada carga, ou quando a técnica do movimento é alterada.

Você também vai gostar

👉 Como conciliar o crossfit com a musculação?

Perceba que nos dois exemplos a fadiga é resultado do trabalho muscular sob cargas de trabalho. Se retirarmos essas cargas de trabalho, a ocorrência da fadiga será adiada. 

É por esse motivo que dizemos a fadiga é um processo reversível, pois, ao proporcionarmos repouso ao músculo, conseguimos reverter essa condição de reduzida capacidade de gerar força.

Mas, o que causa a fadiga muscular?

A fadiga é uma condição multifatorial, isto é, não existe uma única causa para a sua ocorrência. 

Não sei qual tipo de exercício que você pratica com mais frequência, mas, com certeza, você deve perceber que as sensações de fadiga são diferentes entre um esforço muscular exaustivo na musculação (exercício intenso e de curta duração) de um esforço muscular exaustivo prolongado, como em eventos de corrida de rua ou mesmo uma maratona. 

Assim, não surpreende que as causas da fadiga sejam diferentes também nesses dois tipos de exercício.

Frequentemente, as causas da fadiga muscular podem ser divididas em fatores centrais e periféricos

  • A fadiga central pode ser causada por alterações a nível de sistema nervoso central;
  • Enquanto a fadiga periférica pode ser causada por alterações no interior do próprio músculo.
Lembre-se

Nenhum desses fatores pode explicar sozinho todos os aspectos da fadiga, pois diversas causas podem atuar de forma sinérgica para gerar a fadiga. 

Como posso atrasar a fadiga?

Costumo dizer que essa é a pergunta que vale um milhão de reais e que dificilmente será completamente respondida, afinal, a fadiga muscular é uma condição multifatorial. 

Por isso, para que a gente possa atrasar ela, certamente deveríamos combater ao máximo os fatores que a desencadeiam.

Porém, um primeiro ponto a se pensar está em como controlar as cargas de treinamento

Nesse caso, o profissional de educação física é indispensável para planejar sistematicamente os momentos de maior e menor volume e intensidade do treinamento. 

Além disso, existe uma correspondência entre o período de repouso necessário para as sessões de treinamento com diferentes volumes e intensidades. 

Lembre-se

A fadiga é um processo reversível desde que acertemos, também, no tempo de repouso adequado dado ao músculo.

Além disso, existem recomendações para o “tratamento” da fadiga muscular que envolvem o uso de produtos sintéticos (como anfetamina e cafeína), produtos naturais e suplementos nutricionais (como creatina, vitaminas e minerais). 

Mas, para contemplar detalhadamente os efeitos desses produtos, seria necessária uma nova publicação com uma participação multiprofissional, havendo o diálogo entre o profissional de educação física com um profissional da nutrição e da medicina.

Conclusão

Existe um longo caminho até chegar na geração de força pelos músculos. Pois, o trabalho muscular sob cargas de trabalho pode causar mudanças em alguma parte desse trajeto e contribuir para o desenvolvimento da fadiga muscular. 

Dentre as causas, estão: 

  • os fatores centrais (a exemplo do defeito na transmissão do impulso elétrico até o músculo) 
  • fatores periféricos (a exemplo da maior acidose e redução de energia disponível). 

Diante de um processo multifatorial, é fundamental que, caso você pratique exercício, seja assistido por uma equipe multiprofissional, integrando o trabalho do profissional de educação física junto ao trabalho de profissionais da nutrição e da medicina. 

Pois, havendo essa interação interprofissional, aumentam-se as chances de sucesso quanto às formas de combater a fadiga muscular.



Simple Share Buttons
Whatsapp