Categorias
Artigos

Avaliação Física: entenda como é feita e porque é tão necessária

A avaliação física é importante e fundamental antes de se iniciar qualquer plano de treinamento seja qual for o seu objetivo: estético, rendimento ou saúde.

Mas muitas pessoas ainda não sabem como realmente ela é feita e que tipo de resultados podemos esperar dela.

Por isso, neste post, vamos desmistificar um pouco a avaliação física e detalhar o que de fato é feito.

Então, continue lendo!

O que é a avaliação física?

A avaliação física tem como objetivo entender e identificar o nível de condicionamento físico, avaliar fatores de riscos para doenças cardiovasculares, avaliar disfunções nos padrões básicos de movimento, entre outros.

Além disso, ela é composta por uma anamnese e alguns testes que tem por objetivo coletar o máximo de informação necessária para o profissional de educação física montar o plano de treinamento personalizado para o objetivo de cada aluno.

Vamos agora conhecer esses testes.

Quais os testes feitos em uma avaliação física?

1. Anamnese

A anamnese é uma entrevista onde o avaliador busca conhecer os:

  • Hábitos gerais do avaliado;
  • experiência com atividade física;
  • cirurgias realizadas;
  • lesões musculares ou articulares que deixaram alguma sequela;
  • e fatores emocionais, como estresse e ansiedade.

Tendo assim um perfil mais completo do avaliado, para definir um plano de treinamento personalizado para a realidade dele.

2. Antropometria

A avaliação antropométrica tem como objetivo coletar dados relacionados a composição corporal, como:

  • Peso;
  • altura;
  • IMC (índice de massa corpórea);
  • percentual de gordura;
  • e quantidade de massa muscular.

Para isso, utilizamos de alguns testes como:

Bioimpedância

Avaliação rápida do percentual de gordura por meio da passagem de uma corrente eletromagnética pelo corpo do avaliado.

Com ela, conseguimos identificar percentual de gordura geral e segmentar o nível de água existente no organismo.

Dobras cutâneas

Já este é um método tradicional e muito eficaz que nos permite identificar o percentual de gordura e a massa magra.

Ambos os testes são validados através de diversos estudos científicos.

3. Testes funcionais

Os testes funcionais tem o objetivo identificar disfunções e compensações no movimento com o intuito de reduzir os riscos de lesões e buscar um corpo mais equilibrado.

Essas disfunções podem ser geradas por diversos fatores como:

  • Vícios posturais;
  • músculos estabilizadores fracos;
  • músculos com tensão excessiva;
  • falta de flexibilidade;
  • entre outros.

Essas disfunções podem gerar e ser a causa de dores em diversas regiões do corpo, região lombar, joelho, quadril, ombro.

4. Avaliação postural

Já a avaliação postural é feita para investigar se o aluno apresenta alguns desvios posturais como:

  • Lordose;
  • cifose;
  • escoliose;
  • joelhos valgos e varos ou qualquer outra alteração postural.

Essa avaliação é de grande valia principalmente na seleção de exercícios onde através do resultado obtido podemos observar qual região do corpo precisa de uma atenção maior.

5. Testes Neuromusculares

Quanto aos testes neuromusculares, buscamos analisar a força dos grupos musculares flexores e extensores de tronco com o objetivo de identificar alguma assimetria na força desses músculos.

Já que possíveis diferenças de força entre esses grupos musculares podem estar ligados a dores ou lesões nessa região.

6. Avaliação da Flexibilidade

A avaliação da flexibilidade tem como objetivo identificar possíveis grupamentos musculares encurtados que podem gerar alterações posturais, alterações em padrões de movimentos e até dores articulares.

Pois, uma boa flexibilidade está associado a maiores amplitudes de movimento, que auxiliam na hipertrofia muscular.

7. Avaliação da Aptidão Cardiorrespiratória

Além de tudo isso, avaliamos também a aptidão cardiorrespiratória através do teste de queens college.

O teste consiste em subir e descer em um banco de 41 cm durante 3 min a um determinado ritmo.

Com isso, conseguimos predizer o consumo máximo de oxigênio (VO₂máx.).

Este consumo máximo de oxigênio está relacionado ao condicionamento cardiorrespiratório.

Por isso, ele se refere à maior quantidade de oxigênio que pode ser usada no nível celular dos músculos em atividade.

A capacidade de consumo de oxigênio depende principalmente da capacidade do coração e do sistema circulatório em levar o oxigênio e da capacidade dos músculos em atividade em utilizar esse oxigênio.

Por isso, uma adequada aptidão cardiorrespiratória está associada a uma menor ocorrência de distúrbios orgânicos.

Entre eles, podem ser citados a hipertensão arterial, a doença arterial coronariana, o diabetes mellitus, as hiperlipidêmicas e a obesidade.

Quais os benefícios em fazer uma avaliação física?

Com todas as informações coletadas e analisadas, o profissional munido do seu conhecimento técnico e cientifico consegue ser mais assertivo nas suas prescrições e nas seleções dos exercícios.

Visando assim melhorar a saúde do avaliado e corrigir ou minimizar as disfunções, atingindo os objetivos estabelecidos, minimizando as chances de falhas durante o processo.

Por isso temos uma infinidade de testes para mensurar os componentes físicos e antropométricos.

Porém, cabe ao profissional ou academia selecionar o que mais se adéqua ao perfil do público avaliado e o que vai ser mais relevante na hora da prescrição, considerando os objetivos do aluno.

Com que frequência devo fazer a avaliação física?

Faça as avaliações físicas de forma periódica em um intervalo de, no máximo, 3 meses.

Desta forma o profissional consegue examinar:

  • A eficácia dos programas de treinamento;
  • comparar o desenvolvimento do avaliado;
  • enxergar os pontos onde houve uma melhor evolução;
  • outros pontos que não evoluíram como o esperado;
  • desenvolver novos programas de treinamento;
  • e estabelecer novos objetivos de treinamento.

Conclusão

Como podemos observar a avaliação física é fundamental para início, controle e monitoramento de qualquer programa de treinamento.

Pois, sem uma boa avaliação e planejamento, não sabemos onde estamos e aonde pretendemos chegar dentro de um programa de treinamento.

Para que isso aconteça de forma eficiente você precisa estar orientado por um profissional capacitado e atualizado, que respeite as individualidades do aluno, o histórico de atividade física e seus objetivos.

Então, se interessou em fazer uma avaliação física para receber um plano de treino feito exclusivamente para você?

Agende um treino experimental com a Pulse e descubra como podemos transformar a experiência de treino em algo fantástico.

Categorias
Dicas Pulse

6 motivos que farão você ir para a academia hoje

Chegou a hora de colocar aquela roupa de treino, calçar aquele tênis, deixar a preguiça de lado e correr para a academia
São inúmeras as motivações para se começar uma rotina de hábitos saudáveis, e a atividade física vem como facilitadora deste processo.
Se você é aquela pessoa que sempre tem um motivo para não sair desse sofá, segue 6 motivos importantes que vão te fazer ir para a academia hoje.
 

1. Aumento da qualidade de vida

Todo mundo sabe que é importante para a saúde se manter ativo e permanecer em uma rotina de treinamento.
Mas, mesmo assim, a grande parte da população mundial permanece sedentária, por esse motivo segue alguns benefícios da atividade física para a manutenção da saúde:
 

  • Melhora do condicionamento muscular e cardiorrespiratório;
  • Fortalece ossos e músculos;
  • Redução do risco de doenças cardiovasculares, diabetes, osteoporose, fibromialgia, alguns cânceres, entre outras doenças;
  • Melhora da saúde mental e do humor;
  • Controla o peso;
  • Reduz o estresse;
  • Controla a pressão arterial e níveis de açúcar no sangue;
  • Aumento da expectativa de vida;
  • Manutenção da autonomia e funcionalidade nas atividades diárias e prevenção do risco de quedas para pessoas de terceira idade.
  • Melhora da qualidade do sono;

 

2. Mais disposição

A liberação de hormônios após a prática do exercício nos deixa mais ativo, nos deixa mais disposto e regula as principais ações fisiológicas do nosso corpo, até o sono muda completamente, tornando um excelente motivo para aquela pessoa que tem uma rotina intensa de trabalho.
 

3. Socialização

A academia é o melhor lugar do mundo para conhecer pessoas e para encontrar amigos.
Fazer novas amizades na academia só traz benefícios para a sua saúde.
Treinar com alguém por perto faz toda a diferença, um acaba motivando o outro e consequentemente os dois acabam alcançando rapidamente o objetivo.
 

4. Otimização de Tempo

Existem academias que com amplas parcerias de serviços que nos ajudam a ganhar tempo, que contam com restaurantes, salão de beleza, espaço para crianças, loja de suplementos e algumas possuem até lavanderias.
Você pode resolver assuntos pessoais, cuidar da sua saúde, tudo em um só lugar.
 

5. Treino com especialistas

O professor de Educação física na academia tem o dever de avaliar, prescrever, orientar e supervisionar um programa de treinamento individualizado para o aluno.
Ele considera as principais necessidades e limitações de cada um, respeitando os princípios de treinamento para que o indivíduo consiga chegar ao seu objetivo.
 

6. Aulas coletivas

As aulas coletivas são excelentes estratégias para quem gosta de atividades mais dinâmicas, diversificadas e em grupo, com grande intensidade de motivação.
São aulas com estímulos variados, que trabalham todo o corpo, com música e professores motivantes, existem para todos os níveis e objetivos.