Categorias
Artigos

Scape X Spinning: Conheça as principais diferenças entre eles!

O fato de subir em uma bicicleta e pedalar gera inúmeros benefícios, que agrega tanto saúde quanto o lado financeiro por exemplo.

Por isso, o número de pessoas que usam a magrela como meio de transporte cresce cada vez mais, além de ser bem divertido.

Porém, existem desafios para isso, que são a falta de tempo, condições climáticas dependendo da época do ano, além da falta de segurança de pedalar nas ruas atualmente.

E, devido a estes pormenores, pedalar em ambientes indoor, se torna a melhor alternativa.

Quando se fala sobre as concorridas aulas de Ciclismo Indoor os nomes do Spinning e do SCAPE se confundem.

Pois, as diferenças são sutis, apesar disso são importantes e seu nível de esforço, resistência e elaboração dos treinos e outros detalhes, são diferentes.

Começarei a destrinchar as principais diferenças entre o Spinning e o nosso SCAPE para que você comece a entender o diferencial da nossa modalidade.

Mas o que é o Spinning?

Criado na Califórnia, Estados Unidos, em 1987, o nome nasceu em homenagem ao cachorro que os perseguiu às duas da manhã no deserto na Costa Oeste americana.

Há quase dez anos, o ciclista Johnathan Goldberg, mais conhecido como Johnny G., comemorava com o amigo, o administrador de empresas John Baudhin.

O surgimento da empresa Mad Dogg Athletics numa corrida insana de bicicleta por 1.100 km Estados Unidos afora. 

Consolidada a parceria, ali surgia o embrião do Spinning.

A mais popular modalidade dentro das academias de ginástica dos grandes centros do mundo, com algo em torno de cinco milhões de adeptos em mais de 80 países.

Modalidade registrada pela Mad Dogg, o spinning é praticado numa bicicleta ergométrica especial que simula condições externas, como subidas e descidas, podendo queimar até 700 calorias por aula (dependendo do tipo e duração da aula).

Então este homem que gostava de andar na bicicleta estática teve a ideia de adicionar música durante os treinamentos para que não se tornasse tão entediante a prática da atividade.

Foi com o incremento musical que ele percebeu que a motivação aumentava, ele convidou um grupo de amigos para experimentar a sua “invenção” e se exercitar de uma forma mais dinâmica e contagiante.

É claro que a sua criação foi mais longe, porque ele percebeu que de acordo com a melodia toso que estavam na atividade pedalavam mais lentamente ou mais rapidamente.

Em outro momento posterior, novos movimentos foram adicionados como pedalar em pé e voltar a posição sentado, mudar o posicionamento das mãos no guidão além de aumentar ou diminuir as cargas variando de acordo com o intuito da aula e objetivo específico do momento proporcionado pelo professor.

Em uma mesma sessão de treinamento existe momentos de força, velocidade, com intervalos e resistência que podem ser combinados ou não.

Aproximadamente 10 anos mais tarde, o criador do Spinning projetou uma bicicleta específica que permitiu um treinamento mais harmônico e eficaz. Que está entre as melhores da atualidade.

O Spinning existe curso e certificado específico, além de aulas que precisam seguir o padrão exigido pela certificação.

Após essa breve explicação, iremos começar a explicar nossa criação, o SCAPE!

O que é o Scape?

O SCAPE é uma modalidade de ciclismo indoor criada de forma exclusiva pela equipe de professores juntamente com a coordenação técnica e executiva da Academia Pulse, ou seja, é uma modalidade genuinamente com o DNA Pulse.

É uma modalidade semelhante ao Spinning no que se diz respeito a parte física onde permite ao membro Pulse inserir esta atividade no seu cotidiano caso queira, emagrecer queimando algumas calorias, melhorar a resistência cardiorrespiratória, além de tonificar bem os músculos das pernas como um todo.

Recomendável para todas as pessoas, nossa modalidade é destinada e ofertada para que nosso membro Pulse possa de forma gradual participar de cada vez mais aulas com o intuito de se desafiar, e sentir todas as sensações possíveis de uma pedalada em condições reais, que por muitas vezes não a praticam atualmente.

Em uma aula de SCAPE existem as partes principais, que vão desde o acolhimento do membro pulse na porta da nossa sala, com a sequência da aula propriamente dita sendo explicada durante o ajuste da bike e aquecimento, passando por toda parte do treino em si, voltando a calma no final e encerrando de forma única.

Quais são as diferenças entre Spinning e SCAPE?

À primeira vista, podemos pensar, explicou tanto, mas não existem tantas diferenças assim entre spinning e o SCAPE.

A verdade é que elas são muito pequenas, porém que o resultado final é gigantesca. 

O Spinning é mais pensado para aquelas pessoas que querem se exercitar e se divertir, apenas pedalando.

O SCAPE é um pouco mais intenso, porém com orientações usadas onde estas, fazem com que qualquer pessoa possa desfrutar do treino e é aconselhado também para aqueles que procuram.

Por exemplo: treinar para uma corrida ou andar de bicicleta através das montanhas, além da diversão.

As técnicas, a frequência cardiovascular e a velocidade de pedalar são levadas em conta.

Tudo isso junto com a gamificação que utilizamos com o SPIVI, onde temos em tempo real os dados de velocidade, calorias e potência utilizadas, e alguns desafios usados para ampliar ainda mais o encantamento que começa ao entrar na sala feita unicamente para esta modalidade.

Ambas as disciplinas têm efeitos semelhantes no corpo, porque tonificam os músculos e proporcionam maior resistência respiratória.

Em ambos os casos as aulas são feitas dentro da academia, as coincidências param por aí.

No SCAPE temos as melhores bicicletas do mercado fitness mundial, uma sala projetada para você escapar da rotina, entrando em uma nova dimensão, um novo mundo, com um cheiro inconfundível e particular.

Um telão onde todas as informações da aula estão na tela em tempo real em forma de jogo, pura diversão e desafios.

Um som sem igual onde faz você sentir e pedalar a cada batida musical, e falando música, estas são escolhidas a dedo e mixadas pelos próprios Coaches, ou seja, exclusividade em tudo.

O SCAPE foi criado para revolucionar o ciclismo indoor, para dar uma nova perspectiva de treinamento e diversão, com segurança e eficiência.

Por isso, posso afirmar sem medo, temos o que há de melhor e mais moderno dentro da Pulse, e com os melhores professores e claro, os melhores alunos do mundo, que são os membros da Pulse.

Categorias
Artigos

6 exercícios para emagrecer em casa comprovados

A grande dúvida para quem está treinando em casa nesse momento de pandemia e quem ainda não começou, mas deseja iniciar uma rotina é:

Qual melhor exercício para emagrecer em casa? 🤔

Sem mais delongas, não existe o melhor exercício, mas existe programas combinados que vão facilitar seu objetivo e vão além da estética.

Mas antes é importante que você complete essa listinha de preparação.

  • Prepare o ambiente para deixar o mais propício para a atividade física;
  • use roupas leves;
  • pegue sua garrafinha com água;
  • coloque uma boa playlist que te motive;
  • e muita disposição.

Pronto. Agora sim você tá pronto(a) para começar seus treinos em casa. Vamos lá?

6 exercícios para emagrecer e manter o shape em casa

Antes de tudo descubra o que funciona para você. Pois, queimar calorias não é uma receita de bolo.

Mas, como nosso objetivo é te ajudar a dar o pontapé inicial, lá vai uma série de exercícios que cientificamente mostram um alto gasto calórico por serem exercícios que trabalham mais de uma articulação por vez e seu dinamismo não deixam o ritmo cair durante o treino.

Consequentemente o gasto calórico é bem maior. Então optando pelos multiarticulares e integrados, lá vão os 9 dos melhores exercícios com o peso corporal:

Flexão de braço

Exercício que são propriamente de membros superiores onde há mais de uma musculatura envolvida que são: peito, tríceps, ombro e core.

Esse exercício se aplica com as palmas das mãos no solo e tronco paralelo com quadril que “empurrando o solo” com os pés ou joelhos no chão.

Onde há regressões e progressões dentro dele para que sirva para todos, dinâmico e eficiente no gasto calórico.

Dá uma olhada no vídeo para ver como se faz.

Burpee

Um dos melhores exercícios para emagrecer, que trabalha o corpo de forma integral que se aplica quando o você está na vertical e flexiona os joelhos e o tronco rapidamente e cai em direção ao solo com as mãos espalmadas.

Depois que toca o tórax no solo, empurra-se com as duas mãos novamente, que está na largura do ombro, para posição inicial com ajuda dos pés dando um salto na vertical.

Repita o movimento de acordo com a periodização do seu programa de treino.

Agachamento

Exercício bem conhecido e muito eficiente e que não deixa dúvidas da sua importância nessa lista de melhores exercícios para emagrecer em casa.

Em pé com as pernas levemente afastadas, comece  a flexionar os joelhos e, quando for descendo, desloque seu quadril para trás, deixando sua coluna totalmente alinhada.

Vá até onde a amplitude do movimento for saudável para você e depois volte para posição original.

Repita quantas vezes for necessário de acordo com sua periodização.

Abdominal escalador

Um ótimo exercício para core e é bem efetivo no gasto energético, você pode conhecer ele por outros nomes.

Lá vai como você deve executar: comece em posição de prancha alta (com os braços totalmente estendido) o corpo deve está bem alinhado, tórax e quadril.

Então, contraia o abdômen e eleve uma perna em direção ao tórax de forma alternada, sem quebrar o padrão da postural inicial do exercício.

Podendo fazer ele de forma adaptada em um banco ou um pouco mais difícil em plataforma instável.

Corrida estacionária

O famoso “correndo sem sair do lugar” é uma ótima pedida para quem quer um exercício para emagrecer.

O movimento contempla um pequeno espaço da sua casa, utilizando a ponta dos pés e elevando o joelho de forma alternada é uma excelente opção para treinos aeróbicos.

Polichinelo

O polichinelo muito bem conhecido no meio militar. Sendo um ótimo exercício para membros superiores e inferiores.

E seu objetivo é uma alta queima calórica e condicionamento cardiovascular.

Bom, você só precisa se atentar na coordenação motora, e se manter na vertical e depois saltar no mesmo lugar abrindo as pernas e os braços acima da cabeça e repetir o movimento quantas vezes for necessário.

3 métodos para potencializar os exercícios de emagrecimento

Vou te apresentar 3 métodos que você pode aplicar e potencializar ainda mais os resultados com os exercícios para emagrecer em casa.

Os métodos são:

HIIT

Considerado o carro chefe dos exercícios para emagrecer, por ter intervalos curtos de estímulo, e a percepção de esforço alta, os exercícios podem durar de 4 a 12 minutos e o tempo total do treino de 20 a 30 minutos.

O melhor do HIIT é que você pode fazer em qualquer lugar e com o peso do corpo.

Além disso, ele não toma tanto tempo e nem da para pensar em desistir, pois, o treino consiste em um dinamismo entre o tempo de atividade e o intervalo.

Diferente do aeróbico moderado, que a frequência cardíaca fica em torno de 70% a 85%.

O HIIT deve-se manter entre 85%. Vale lembrar em fazer uma análise prévia com um médico, pois o treino exige bastante do aparelho cardiovascular.

Aeróbico continuo

Por muito tempo foi o carro chefe dos exercícios para emagrecer, e não da para negar sua eficiência.

Apesar que muitos especialistas defendam o HIIT com unhas e dentes, o aeróbico contínuo é uma boa pedida para quem quer iniciar no mundo dos exercícios.

Aqui vão alguns exemplos:

o American college of sports medicine mostra que 250 minutos ou mais de exercícios moderados por semana, como exercício aeróbico, aumenta a perda de peso, continuando assim sendo um bom método para aplicar os exercícios para emagrecer.

Treinamento em circuito

Bom, como o nome mesmo entrega, o treinamento em circuito é feito por uma sequência de atividades que estiverem selecionadas no programa que você terá que passar.

Visando o condicionamento físico e o emagrecimento, sua grande vantagem é a aplicabilidade, por ser dividido por estações que se aplicam aos exercícios citados acima, potencializando ainda mais a queima de gordura.

Conclusão

O que realmente vai fazer a diferença no processo de emagrecimento é a frequência no programa.

Todo e qualquer exercício faz a diferença desde que seja acompanhado com uma alimentação controlada, sono regular, uma boa hidratação e profissionais devidamente habilitados.

E não perca a motivação, pois com o tempo vem prazer.

Mesmo que no início seja duro, nem que para isso você passe por diversas modalidades.

Às vezes a primeira escolha não é a mais assertiva, mas com a persistência os resultados vêm.

Categorias
Uncategorized

Como ganhar massa muscular nas pernas em casa

Ganhar massa muscular nas pernas é o desejo da grande parte das pessoas que entram em uma academia.

No entanto, o processo até alcançar esse objetivo nem sempre é tão fácil!

Isso porque precisamos adequar diversas variáveis, onde as principais são, ter um bom descanso, se alimentar de forma adequada aos seus objetivos e ter uma boa assiduidade nos treinos.

Hoje vamos falar um pouco sobre treino, para ser mais específico vamos falar um pouco sobre treino de pernas e como conseguir desenvolver a musculatura da perna, nesse período de quarentena, em casa!

E por fim, te darei 3 sugestões de treino para você praticar! Tá preparado(a)? Vamos nessa!

É importante entender que, a perna concentra diversos músculos onde, para termos uma perna bonita e volumosa, é importante que trabalhemos todos eles.

No entanto, vamos dividir a nossa perna em 5 partes, para melhor explicar:

  • região anterior da coxa;
  • região posterior de coxa;
  • região interna de coxa;
  • região externa da coxa;
  • panturrilha.

Região anterior da coxa

A região anterior de coxa costuma ser a que mais se destaca em um físico, pois é onde concentra a maior quantidade de músculos.

E por este motivo, é a região onde mais temos opções de exercícios para se fazer em casa, como o clássico agachamento, o afundo, o avanço, e entre outros.

Tem como principal função flexionar o quadril (erguer coxa) e estender o joelho.

Região posterior de coxa

Já a região posterior de coxa, apesar de não ter tanto destaque como a região anterior, tem sua importância, tanto mecânica como estética, e é essencial manter um equilíbrio muscular entre essas duas regiões.

Tem como principal função estender o quadril (jogar a coxa para trás) e flexionar o joelho (dobrar o joelho).

A região posterior costuma ser um pouco mais difícil de se trabalhar em casa, por não se ter tantas opções.

No entanto, podemos sim treina-los em nosso lar, exercícios como também o clássico agachamento, o stiff ou stiff unilateral, a flexão nórdica e entre outros.

No caso da flexão nórdica é necessário um pouco mais de cuidado e auxílio de alguém para segurar seus calcanhares ou algum equipamento que consiga manter o seu calcanhar firme enquanto executa o exercício.

Então pelo nível de dificuldade, não utilizaremos este exercício nas nossas sugestões de treino de pernas.

Região interna de coxa

A região interna de coxa, também conhecida como região adutora, tem também grande importância estética, porque ajuda a deixar a perna mais “larga” e forte.

Concentra menos músculos que as demais regiões, e apresenta também uma menor quantidade de exercícios que o trabalhe em casa, mas exercícios como também o agachamento e o avanço ou afundo, trabalham bem essa região.

Tem como principal função promover a adução do quadril (fechar ou unir as pernas).

A região externa de coxa, também conhecida como região abdutora, concentra os músculos do glúteo (máximo, médio e mínimo) e tensor da fáscia lata.

Tem como principal função fazer a abdução de quadril (abrir ou afastar as pernas).

Existe uma grande variedade de exercícios que trabalham esses músculos, como também o querido e clássico agachamento, agachamento sumô, agachamento com salto, avanço, afundo, elevação de quadril, e entre outros.

Panturrilha

A panturrilha, também conhecida como coração da perna, além de ser um extensor de tornozelo é responsável por ajudar a bombear o sangue dos membros inferiores de volta para o coração.

Ou seja, panturrilhas fortes, além de completarem uma boa estética, te ajudam a ter menos riscos com o retorno venoso para o coração, permitindo uma melhor circulação sanguínea.

Temos poucas opções para trabalhar este músculo em casa, mas os principais são o agachamento com salto e a panturrilha em pé (extensão de tornozelo em pé).

É importante lembrar que para se chegar a qualquer objetivo, é essencial que tenhamos um auxílio adequado, sendo extremamente necessário a ajuda de um profissional de Educação Física para te guiar e te ajudar a alcançar todas as suas metas.

Segue 3 sugestões de treino de perna para que você possa fazer em casa e desenvolver a musculatura da sua perna, apenas com seu peso corporal.

3 treinos para ganhar massa muscular nas pernas em casa

Serão disponibilizados um treino iniciante, um intermediário e um avançado, para que, de acordo com seu nível de treinamento, você possa escolher entre eles.

Lembrando que se você está parado há um tempo, mesmo que já tenha treinado por muito anos, meses atrás, é importante começar pelo treino iniciante, e ir progredindo com o tempo.

Para iniciantes

3 rodadas de 30 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 20 segundos entre cada exercício.

Lembrando que o treino será realizado em forma de circuito, onde você fará todos os exercícios de forma seguida, respeitando o tempo de execução e o tempo de descanso entre exercícios.

Treino:

  1. Agachamento livre
  2. Avanço alternado
  3. Agachamento isométrico
  4. Panturrilha em pé

Para nível intermediário

No treino intermediário teremos 2 blocos de treino, onde cada bloco será executado de forma individual em circuito.

Ou seja, serão dois circuitos de treino, onde você só passará para o bloco 2 após ter encerrado o bloco 1.

Lembrando que no treino em circuito, você fará todos os exercícios de forma seguida, respeitando o tempo de execução e o tempo de descanso entre exercícios.

Bloco 1:

3 rodadas de 30 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 10 segundos entre cada exercício.

Agachamento livre
2. Agachamento com deslocamento lateral
3. Agachamento com salto

Bloco 2:

4 rodadas de 20 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 10 segundos entre cada exercício.

  1. Stiff unilateral (perna direita)
  2. Stiff unilateral (perna esquerda)
  3. Agachamento sumô completo + Agachamento sumô parcial

Para quem é avançado

No treino avançado utilizaremos um método diferente. Cada exercício será realizado um por vez.

Você terá uma meta para alcançar de repetições em cada exercício e só poderá passar para o exercício seguinte após ter alcançado a meta do anterior.

O descanso será bem controlado e será utilizado da seguinte forma, se a meta for 50 repetições, você deve tentar fazer as 50 repetições sem descanso, mas se por acaso você se cansar no meio das 50 repetições, poderá descansar até no máximo 10 segundos e então continuará com a contagem até alcançar a meta.

Treino:

  1. Agachamento livre – 60 repetições
  2. Agachamento com salto – 50 repetições
  3. Afundo unilateral – 40 repetições (para cada perna)
  4. Agachamento isométrico – 2 minutos
  5. Panturrilha em pé (40 repetições)