Categorias
Uncategorized

Como ganhar massa magra? 6 dicas certeiras que vão te ajudar

Quantas e quantas vezes nos mantemos na linha nos treinos e, mesmo assim, não sentimos nenhuma diferença na manga da camisa ou a legging continua vestindo do jeitinho que era antes?

O famoso processo de ganhar massa magra não é tão simples quanto parece.

Por isso, neste post vamos te mostrar como ganhar massa magra com base em 3 pilares fundamentais e 6 dicas certeiras para você começar hoje.

Vamos lá?

Pilar de Alimentação

alimentação saudável
Foto de Polina Tankilevitch no Pexels

Aqui vamos te mostrar algumas orientações básicas de como mudar o seu comportamento com a comida.

Lembre-se, para que você tenha uma orientação assertiva e individualizada para o seu objetivo, deverá procurar o serviço de um profissional da área.

1. Não subestime o gasto calórico

Para entender como ganhar massa magra, precisamos conhecer o temido superavit calórico.

Ao contrário do déficit calórico, estratégia muito conhecida e utilizada no processo de emagrecimento, o superávit calórico é o consumo de uma quantidade de calorias superior as que você utiliza ao final de todas as suas atribuições diárias.

Ou seja, é consumir mais do que gasta.

Porém, não são só flores! A intensidade do seu treino está intimamente relacionada com esse cálculo calórico, não esqueça disso.

2. Equilibre o consumo de calorias

Entendemos que consumir mais calorias é essencial, certo?

Então é só eu me entupir de comida para ganhar mais do que eu gasto, que vou ter meus tão sonhados músculos?

Calma, não é assim que a banda toca.

O tipo da caloria que ingerimos é fundamental para o nosso equilíbrio nutricional.

As 500kcal que você ingere em um lanche gorduroso e altamente industrializado não possuem o mesmo peso das 500kcal de uma refeição bem distribuída em proteínas, carboidratos e gorduras.

Para não errar nessa distribuição e entender o que é melhor para o seu corpo, não deixe de procurar um nutricionista.

Ele encaminhara uma dieta voltada especialmente as necessidades do seu organismo.

É um tiro certeiro!

3. Equilibre seu prato

Estamos cansados de saber que para construir músculos fortes, o consumo de proteínas precisa ser superior as demais fontes de energia.

Porém, não adianta encher o prato de frango achando que vai crescer da noite para o dia e negligenciar os nutrientes que o seu corpo realmente precisa.

Pois, uma dieta equilibrada e bem estruturada é fundamental para que você obtenha um resultado sólido e consistente.

Enquanto não entendermos que o seu músculo precisa ser nutrido adequadamente para que possa sustentar suas funções básicas e ainda consiga iniciar o processo de hipertrofia, não sairemos do lugar.

4. Alimento certo na hora certa

Vamos jogar uma verdade na mesa: comer uma besteira só porque treinou bem não pode se tornar sua maior recompensa.

Até porque, no final a conta não bate.

A nossa alimentação pré e pós exercício é essencial para o ganho de massa muscular.

O carboidrato é a nossa primeira fonte de energia, então, escolher uma alimentação rica em carboidratos de rápida absorção é uma opção certeira para um bom pré treino.

Logo em seguida, cerca de 40 minutos após um treinamento vigoroso, seu músculo começa a clamar por comida.

Esse é o melhor momento para nutri-lo, por isso, aproveite para abastecer seu corpo com uma alimentação rica em proteínas e sinta-se cada vez mais forte!

Pilar de Treinamento

treinamento
Foto de Karolina Grabowska no Pexels

O treinamento é a base de todo o processo.

Montar uma planilha nutricional é fundamental, mas sem os estímulos apropriados para que o seu músculo consiga se desenvolver, não existirá progresso.

Por isso, vamos às dicas.

5. Evolua nos treinos

Treinar 3 vezes na semana durante 40 minutos não vai te proporcionar uma evolução tão rápida em relação ao que o seu corpo é realmente capaz de suportar.

Pois, para que as reações químicas aconteçam dentro do seu músculo, ele deverá passar por um estresse metabólico mais alto do que o habitual.

Estamos falando de construção de tecido muscular, e, para que isso ocorra, os níveis de intensidade do seu treinamento deverão estar alinhados ao seu objetivo central.

Você dá conta!

6. Mude o estímulo

Mesmo com toda a sobrecarga física, o nosso corpo continua sendo uma das máquinas mais adaptáveis que existe.

Com poucas repetições do mesmo treino, conseguimos aprimorar nossa força e suportar cargas que antes pareciam impossíveis.

No entanto, para que essa adaptação não se torne outro obstáculo, é preciso estruturar uma periodização de treinamento voltada exclusivamente ao seu objetivo.

Um programa de treinamento com estímulos variados, com o intuito de driblar a adaptação do seu organismo e transformar cada treino em uma experiência única.

Para mais informações sobre como montar uma periodização de treinamento, procure o serviço de um profissional de educação física.

Pilar do Descanso

descansando
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

Mais do que nunca você deverá respeitar os limites do seu corpo.

Por vezes, a pressa de aumentar 1 cm em um determinado músculo é tanta que acabamos nos excedendo na intensidade, e principalmente no volume do treino, tentando transformar uma semana em um dia.

Aqui, você entrará no jogo do progresso e passará por pequenas mudanças, uma de cada vez, seguindo por um caminho saudável e sem muitas restrições.

Só não esqueça que o repouso não é opcional, ele faz parte do processo.

Qualquer um é capaz de ganhar massa magra?

Qualquer pessoa tem a capacidade de alcançar a hipertrofia muscular, basta dedicação, constância nos treinamentos, e atenção aos fatores nutricionais mencionados acima.

O tempo que irá levar para alcançar o resultado desejado vai depender única e exclusivamente do empenho e do objetivo de cada um.

Não existe ninguém igual a ninguém, e o seu organismo é um universo único, e a maneira que ele responde a um estímulo, seja por uma dieta ou por um treino, são totalmente diferentes que de qualquer outra pessoa.

Por isso, aceite o seu ambiente e não se compare com ninguém.

Categorias
Uncategorized

4 exercícios para eliminar gordura de forma eficiente

Um dos maiores problemas relacionados à saúde pública que enfrentamos é a “obesidade”.

Ela é o excesso de tecido adiposo no corpo que afeta negativamente a saúde daquele que se encontra nessa situação.

De fato, existem pessoas que possuem pré-disposição genética para tal doença e que sofrem com disfunções em seus metabolismos.

Mas, os altos níveis de inatividade física e sedentarismo estão relacionados a inúmeros malefícios que afetam o bem-estar físico e psicológico.

Por isso, neste post vamos mostrar 4 exercícios que vão te ajudar a eliminar gordura de forma eficiente.

Vamos lá?

4 exercícios simples que vão te ajudar a eliminar gordura

1. Musculação

musculaçao
Foto de The Lazy Artist Gallery no Pexels

A musculação é uma peça fundamental para quem busca emagrecer com qualidade.

Pois, além de ter poder para diminuir o percentual de gordura corporal, contribui na melhoria das capacidades físicas como:

  • força;
  • resistência;
  • agilidade;
  • potência;
  • coordenação;
  • equilíbrio;
  • velocidade;
  • flexibilidade.

Possuindo, também, um papel fundamental na prevenção de lesões.

Então, imagine uma pessoa sedentária, que não pratica exercício físico há anos e que decidiu perder peso correndo na rua.

Devido às obrigações do cotidiano, ela pode apresentar algumas
disfunções musculares, como:

Músculos mais fortes do que outros, músculos encurtados ou alongados excessivamente, além da baixa quantidade de massa muscular, causando um quadro de instabilidade e mal funcionamento das articulações, por exemplo.

Portanto, fica claro a necessidade de corrigir esse padrão alterado, por meio do treinamento resistido, para que lesões não acometam tal pessoa.

No entanto, se você não gosta de exercício aeróbico, o famoso “cárdio”, não se preocupe, porque a eficácia da musculação no processo de emagrecimento é comprovada pela ciência há tempos.

Uma gama de populações como adultos, idosos, homens, mulheres, diabéticos, obesos, mulheres na pré-menopausa, são responsivos e podem se beneficiar direta ou indiretamente, pois a o simples fato de incluir treinos em sua rotina irá auxiliar na manutenção da massa magra, da dieta e do peso a longo prazo.

Estímulos com alto volume e intensidades moderadas à altas, nesta modalidade, tendem a ser mais efetivos para a perder peso, porém, busque sempre um bom profissional de educação física para prescrição de um programa de treinamento individualizado, uma vez que cada ser possui suas particularidades.

2. HIIT

hiit
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

A sigla HIIT significa treinamento intervalado de alta intensidade, ou seja, são exercícios que vão demandar muito esforço físico e que são realizados com pausas (ativas ou não).

Existem diversos protocolos, mas, por necessitar de um estímulo de alta intensidade, a duração de cada estímulo será curta, questão de segundos a pouquíssimos minutos e, devido às pausas, o praticante consegue realizar o processo repetidamente.

Quando queremos diminuir o percentual de gordura, utilizar o HIIT torna-se uma estratégia muito válida e amplamente respaldada pela literatura científica.

O diferencial desta modalidade é que a sua duração é curta e os resultados são tão significativos quanto o exercício contínuo de intensidade moderada.

Em outras palavras, se você não tem tempo para passar dezenas de minutos na esteira, por exemplo, a utilização do HIIT, que pode ser concluído em poucos minutos, te beneficiará tanto quanto.

Contudo, por se tratar de um exercício de alta intensidade, nem todos vão ter respostas afetivas positivas.

Além disso, indivíduos destreinados precisam de mais atenção, uma vez que podem apresentar alterações no sistema cardiovascular e/ou articular, ficando evidente a necessidade de um médico especializado nesse processo.

É possível manipular as variáveis do HIIT, como:

  • a intensidade do estímulo;
  • duração do estímulo;
  • intensidade do intervalo;
  • duração do intervalo;
  • número de vezes a ser realizado;
  • categoria do exercício.

Sendo assim, você pode realizar o treino intervalado de alta intensidade em uma esteira, na rua, na bicicleta ou com exercícios utilizando somente o peso do corpo.

3. SIT e RST

sit e rst
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

O SIT, Sprint Interval Training, possui metodologia semelhante ao do HIIT, com a principal diferença na intensidade.

Esse tipo de treino vai exigir maior esforço no momento de estímulo,
no caso, o seu máximo, e por isso apresentará um tempo menor que o HIIT.

Costuma ser prescrito com estímulos de 30 segundos intercalados com 2 a 4 minutos de intervalo para recuperação.

Já o RST, Repeated Sprint Training, também apresenta estímulos na máxima intensidade realizável, porém por um período ainda mais curto, 3 a 7 segundos, e intervalos também mais curtos, por volta de 60 segundos ou menos.

4. Aeróbico contínuo de intensidade moderada

treino aeróbico
Foto de Nathan Cowley no Pexels

O exercício físico é bem democrático no que tange seus resultados aplicados ao emagrecimento.

Caso não goste ou não esteja apto a realizar atividades em altas
intensidades, trabalhar em uma zona moderada também te trará ótimos
resultados.

A diferença está na duração de cada tarefa, onde aqui se faz necessário passar mais tempo.

Por isso, a dica está na escolha de uma atividade que te proporcione prazer.

A corrida de rua é uma das atividades mais praticadas por todo o mundo, mas se não for do seu gosto você pode experimentar outra atividade aeróbica, como o spinning, o simulador de escadaria, a natação ou a dança.

Conclusão

Não é preciso escolher uma modalidade de exercício e torna-la um “deus” em sua vida.

Todas possuem suas vantagens e particularidades, e a prática de uma não atrapalha a outra.

Pelo contrário, se bem planejada, a introdução dessas modalidades em conjunto impulsionará ainda mais suas melhorias de saúde, bem-estar e estéticas.

Lembre-se que os benefícios do exercício físico são vistos com mais esplendor quando praticados de forma crônica.

De nada adiantará realizar “o melhor treino do mundo” e depois
de um ou dois meses abandoná-lo.

Por isso, fique à vontade para vivenciar diversas práticas corporais e encontrar uma que se encaixe.

E sempre procure dialogar com um bom profissional de educação física, pois ele te instruirá a potencializar os seus ganhos com máxima segurança.

Categorias
Uncategorized

10 exercícios aeróbicos de alto desempenho

Todos sabemos que treinar é importante e que traz inúmeros benefícios, tanto para manter a boa forma física e a saúde mental.

E para aqueles que desejam um melhor condicionamento físico, emagrecimento ou simplesmente suar a camisa a escolha, os exercícios aeróbicos são uma ótima escolha

Por isso, neste post vamos te mostrar 10 exercícios aeróbicos para começar a ter uma vida mais ativa e melhorar sua saúde.

Vamos lá?

1. Caminhada ou corrida

exercício aeróbico de caminhada
Foto de Daniel Reche no Pexels

Bom ela dispensa apresentações e pode ser realizada em bosques, ruas, praças, em praticamente qualquer lugar.

Basta só querer e ter a disposição de encarar o desafio.

Lembrando que pedir orientação ao seu professor de educação física é a melhor maneira de executar a tarefa sem problemas.

Também é importante se atentar no horário da prática, pois não é tão agradável está correndo ao meio-dia, há não ser que você precise muito e leve sua garrafa de água, já que se manter hidratado é muito importante em qualquer treino que você estiver realizando.

2. Andar de bicicleta

Nunca foi tão difícil e prazeroso aprender a pedalar, e para muitos está em cima de uma bicicleta é liberdade.

Então, umas das suas possibilidades é a maquina de duas rodas com tração nas duas pernas, onde vai exigir bastante de você e não deixa a desejar.

Podendo variar estímulos que vão desde ao iniciante ao atleta.

3. Escadaria

escadaria
Foto de Pixabay no Pexels

Nunca foi tão cômodo utilizar o elevador, então se um dia quiser fazer um exercício aeróbico com um bom gasto calórico, as escadas podem ser suas amigas.

A dica é que sempre consulte um profissional da área, pois a escadaria puxa muito do seu aparelho cardiorrespiratório.

Então, começar com intensidades mais leves menos degraus no início vai te ajudar a criar mais adesão pelo exercício e não vai sobrecarregar seu corpo.

4. Pular corda

Quem na infância teve essa prática aproveitou bastante, e quem não teve a oportunidade, a hora é essa de conhecer esse exercício aeróbico que tem mil e um movimentos que encanta e faz suar a camisa.

Basta ser só uma corda, seja ela profissional ou não, e de um tamanho adequado para sua altura.

Então só correr para o salto.

5. Amarelinha

amarelinha como exercício aeróbico
Imagem de ncassullo por Pixabay

Isso mesmo, você não leu errado!

Dá sim para fazer um exercício aeróbico brincando e não vai morrer no exercício (calma que não é desse jeito que você irá chegar ao céu).

Bom, essa brincadeira compartilhada serve para quem tem filhos ou sobrinho que querem brincar sem perder o foco nos exercícios.

Então, não há limite e tenha certeza que a diversão é garantida e o gasto calórico também.  

6. Caminhada ou corrida na esteira

Correr ou caminhar é bom em qualquer lugar, inclusive na esteira.

Pois, ela consegue controlar e te dar métricas de desempenho, diferente da rua, que se não tiver algum acessório atrelado a você, dificilmente irá saber como se saiu.

Fora que a segurança de estar em ambiente propício, onde não existe desnível ou obstáculos é fundamental para muita gente, então a esteira pode ser um exercício aeróbico excelente.

7. Air bike

Talvez o nome assuste de primeira, mas é um exercício aeróbico que está disponível em algumas academias de ginástica.

Ele funciona com um aparelho que usa a resistência de hélices para promover gastos calóricos altíssimos em pouco tempo.

Muito conhecido nos box’s, se você já encarou uma dessas, acredito que no mínimo é de ficar sem palavras.

Porém, igual à escadaria, dosar a intensidade é a maneira mais coerente para você e, depois de testar, com certeza o Air Bike não sairá da sua lista de exercícios aeróbicos preferidos.

8. Remo ergométrico

Basicamente é um aparelho que simula um remo na sua essência, onde se utiliza das forças tanto dos membros superiores, tanto dos membros inferiores, para promover seu gasto calórico.

A sua métrica é dada por metros percorridos, assim deixando a prática mais interessante para o usuário, se for pensar em um desafio ou meta pessoal.

Esse equipamento também é encontrado em algumas academias de ginástica e pode ser uma ótima pedida para quem quer iniciar com exercícios aeróbicos.

9. Epilítico

O elíptico é um aparelho que simula a corrida, mas com menos impacto do que a esteira, reduzindo assim drasticamente a pressão exercida nos membros inferiores.

Por isso, para quem sente dores recorrentes, hoje é um dos exercícios aeróbicos mais recomendados, sendo recomendada a todos os públicos.

Mas, vale lembrar que para os pós cirúrgicos de algumas lesões é um ótimo método de recuperação. Por isso consulte sempre um profissional habilitado.      

10. Bicicleta ergométrica

Inclusa em aulas extremamente estimulantes, a pegada da bike ergométrica mostra como você pode quantificar seu esforço.

Como na esteira, a bike da academia de ginástica conta com toda a segurança de está em um ambiente propício para a prática.

Além disso, ela se utiliza de intensidades que você pode alternar e é um maquinário já difundido e de total recompensa (as pernas que o digam).

Então se você quer definição muscular, potencializar a força e resistência dos membros inferiories, é um ótimo exercício aeróbico para começar.

Concluindo

Os exercícios aeróbicos são ótimos aliados para quem quer começar uma rotina de treinos menos intensos, mas com ótimos resultados.

Mas, é importante entender que a frequência, alimentação e sono são um dos pilares fundamentais para o sucesso de qualquer prática.

Além de, claro, ter um profissional habilitado que te ajude a desempenhar melhor os exercícios e evitar lesões.

Então, se quiser entender melhor quais tipos de exercício podem te trazer melhores resultados, entenda como funciona uma avaliação física.

Categorias
Uncategorized

Como ganhar massa muscular nas pernas em casa

Ganhar massa muscular nas pernas é o desejo da grande parte das pessoas que entram em uma academia.

No entanto, o processo até alcançar esse objetivo nem sempre é tão fácil!

Isso porque precisamos adequar diversas variáveis, onde as principais são, ter um bom descanso, se alimentar de forma adequada aos seus objetivos e ter uma boa assiduidade nos treinos.

Hoje vamos falar um pouco sobre treino, para ser mais específico vamos falar um pouco sobre treino de pernas e como conseguir desenvolver a musculatura da perna, nesse período de quarentena, em casa!

E por fim, te darei 3 sugestões de treino para você praticar! Tá preparado(a)? Vamos nessa!

É importante entender que, a perna concentra diversos músculos onde, para termos uma perna bonita e volumosa, é importante que trabalhemos todos eles.

No entanto, vamos dividir a nossa perna em 5 partes, para melhor explicar:

  • região anterior da coxa;
  • região posterior de coxa;
  • região interna de coxa;
  • região externa da coxa;
  • panturrilha.

Região anterior da coxa

A região anterior de coxa costuma ser a que mais se destaca em um físico, pois é onde concentra a maior quantidade de músculos.

E por este motivo, é a região onde mais temos opções de exercícios para se fazer em casa, como o clássico agachamento, o afundo, o avanço, e entre outros.

Tem como principal função flexionar o quadril (erguer coxa) e estender o joelho.

Região posterior de coxa

Já a região posterior de coxa, apesar de não ter tanto destaque como a região anterior, tem sua importância, tanto mecânica como estética, e é essencial manter um equilíbrio muscular entre essas duas regiões.

Tem como principal função estender o quadril (jogar a coxa para trás) e flexionar o joelho (dobrar o joelho).

A região posterior costuma ser um pouco mais difícil de se trabalhar em casa, por não se ter tantas opções.

No entanto, podemos sim treina-los em nosso lar, exercícios como também o clássico agachamento, o stiff ou stiff unilateral, a flexão nórdica e entre outros.

No caso da flexão nórdica é necessário um pouco mais de cuidado e auxílio de alguém para segurar seus calcanhares ou algum equipamento que consiga manter o seu calcanhar firme enquanto executa o exercício.

Então pelo nível de dificuldade, não utilizaremos este exercício nas nossas sugestões de treino de pernas.

Região interna de coxa

A região interna de coxa, também conhecida como região adutora, tem também grande importância estética, porque ajuda a deixar a perna mais “larga” e forte.

Concentra menos músculos que as demais regiões, e apresenta também uma menor quantidade de exercícios que o trabalhe em casa, mas exercícios como também o agachamento e o avanço ou afundo, trabalham bem essa região.

Tem como principal função promover a adução do quadril (fechar ou unir as pernas).

A região externa de coxa, também conhecida como região abdutora, concentra os músculos do glúteo (máximo, médio e mínimo) e tensor da fáscia lata.

Tem como principal função fazer a abdução de quadril (abrir ou afastar as pernas).

Existe uma grande variedade de exercícios que trabalham esses músculos, como também o querido e clássico agachamento, agachamento sumô, agachamento com salto, avanço, afundo, elevação de quadril, e entre outros.

Panturrilha

A panturrilha, também conhecida como coração da perna, além de ser um extensor de tornozelo é responsável por ajudar a bombear o sangue dos membros inferiores de volta para o coração.

Ou seja, panturrilhas fortes, além de completarem uma boa estética, te ajudam a ter menos riscos com o retorno venoso para o coração, permitindo uma melhor circulação sanguínea.

Temos poucas opções para trabalhar este músculo em casa, mas os principais são o agachamento com salto e a panturrilha em pé (extensão de tornozelo em pé).

É importante lembrar que para se chegar a qualquer objetivo, é essencial que tenhamos um auxílio adequado, sendo extremamente necessário a ajuda de um profissional de Educação Física para te guiar e te ajudar a alcançar todas as suas metas.

Segue 3 sugestões de treino de perna para que você possa fazer em casa e desenvolver a musculatura da sua perna, apenas com seu peso corporal.

3 treinos para ganhar massa muscular nas pernas em casa

Serão disponibilizados um treino iniciante, um intermediário e um avançado, para que, de acordo com seu nível de treinamento, você possa escolher entre eles.

Lembrando que se você está parado há um tempo, mesmo que já tenha treinado por muito anos, meses atrás, é importante começar pelo treino iniciante, e ir progredindo com o tempo.

Para iniciantes

3 rodadas de 30 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 20 segundos entre cada exercício.

Lembrando que o treino será realizado em forma de circuito, onde você fará todos os exercícios de forma seguida, respeitando o tempo de execução e o tempo de descanso entre exercícios.

Treino:

  1. Agachamento livre
  2. Avanço alternado
  3. Agachamento isométrico
  4. Panturrilha em pé

Para nível intermediário

No treino intermediário teremos 2 blocos de treino, onde cada bloco será executado de forma individual em circuito.

Ou seja, serão dois circuitos de treino, onde você só passará para o bloco 2 após ter encerrado o bloco 1.

Lembrando que no treino em circuito, você fará todos os exercícios de forma seguida, respeitando o tempo de execução e o tempo de descanso entre exercícios.

Bloco 1:

3 rodadas de 30 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 10 segundos entre cada exercício.

Agachamento livre
2. Agachamento com deslocamento lateral
3. Agachamento com salto

Bloco 2:

4 rodadas de 20 segundo de execução (cada exercício), com intervalo de descanso de 10 segundos entre cada exercício.

  1. Stiff unilateral (perna direita)
  2. Stiff unilateral (perna esquerda)
  3. Agachamento sumô completo + Agachamento sumô parcial

Para quem é avançado

No treino avançado utilizaremos um método diferente. Cada exercício será realizado um por vez.

Você terá uma meta para alcançar de repetições em cada exercício e só poderá passar para o exercício seguinte após ter alcançado a meta do anterior.

O descanso será bem controlado e será utilizado da seguinte forma, se a meta for 50 repetições, você deve tentar fazer as 50 repetições sem descanso, mas se por acaso você se cansar no meio das 50 repetições, poderá descansar até no máximo 10 segundos e então continuará com a contagem até alcançar a meta.

Treino:

  1. Agachamento livre – 60 repetições
  2. Agachamento com salto – 50 repetições
  3. Afundo unilateral – 40 repetições (para cada perna)
  4. Agachamento isométrico – 2 minutos
  5. Panturrilha em pé (40 repetições)
Categorias
Uncategorized

7 Hábitos saudáveis para melhorar a sua vida

Quer ter uma vida saudável? Um corpo e uma mente forte?

Então segue algumas dicas de hábitos saudáveis que vão te ajudar a ter uma melhora radical na sua vida.

Tá preparado para tudo isso? Vamos lá!

1. Evite ficar sentado por muito tempo

Estudos mostram que ficar sentado por longos períodos, diariamente, pode ser extremamente prejudicial para a saúde.

Podendo ocasionar em diversos problemas como diabetes, problemas cardiovasculares e até mesmo morte precoce.

Por isso, procure sempre variar os períodos sentados com algumas leves caminhadas.

Outro estudo associado mostra que para se ter uma vida saudável é importante dar pelo menos 10.000 passos por dia, que podem ser medidos facilmente com alguns relógios ou pulseiras inteligentes com contadores de passo.

2. Se exercite todos os dias

Estudos mostram que praticar pelo menos 30 minutos de exercício físico de segunda a sexta ou 21 minutos todos os dias, te garante diversos benefícios, como:

  • melhora do humor;
  • aumento do prazer;
  • bem estar;
  • melhora do controle mental;
  • aumento do controle emocional e entre outros diversos benefícios.

3. Se alimente bem

Ter bons hábitos alimentares, com uma alimentação equilibrada, garante ao nosso organismo inúmeras condições para uma vida saudável.

Alimentar-se de forma saudável está ligada diretamente a uma melhor qualidade de vida e uma sensação de bem-estar físico e psicológico.

Porém, se alimentar de forma errada deixa a nossa mente perturbada, isso porque os nutrientes importantes para o perfeito funcionamento do nosso cérebro, dependem do que comemos.

Além disso, é através dos nutrientes encontrados em uma boa alimentação que o nosso corpo se reconstrói diariamente, e recupera suas energias.

4. Beba mais água

Muitas funções do nosso corpo dependem de água para funcionar corretamente.

Precisamos de água, por exemplo, para digerir alimentos, absorver nutrientes, regular a temperatura do corpo e eliminar toxinas. 

Por isso, consumir com mais frequência tem muitos benefícios, como prevenir doenças e melhorar o desempenho físico e mental.

Afinal, mais de 60% de um ser humano adulto é composto de água.

Existe um cálculo simples de quantos litros médios de água um indivíduo saudável precisa consumir, que é:

  • 35ml x peso corporal do indivíduo

Ou seja, se o indivíduo pesa 60kg, ele precisará consumir em média 2,1L de água por dia.

5. Durma bem

O sono é um momento extremamente importante para o nosso corpo, pois, é principalmente neste momento que o nosso corpo se recupera de um dia cansativo.

Durante a noite o nosso corpo produz diversos hormônios, dos quais vários trabalham na reconstrução muscular, tecidual, óssea, e entre outras.

Além disso, ter uma noite de sono bem dormida te ajuda a regular também o seu metabolismo (controle do gasto calórico).

Visto que noites mal dormidas podem desregular a sua produção de insulina e causar até mesmo ganho de peso, depois de longos períodos dormindo mal.

6. Seja mais positivo e leve positividade por onde você for

A positividade tem um enorme poder de contagio, com isso, se seu cotidiano for rodeado de positividade, é provável que você ganhe melhorias em sua saúde física e mental.

Pesquisadores sugerem que os benefícios associados à positividade incluem:

Aumento da felicidade

Pesquisas recentes evidenciam que aqueles que praticam a positividade e a gratidão experimentam múltiplos benefícios, que incluem: maior sensação de felicidade, mais energia, mais esperança e mais emoções positivas;

Combater os efeitos negativos da ansiedade e do estresse

A positividade se mostra protetiva para o organismo na medida em que reduz os efeitos negativos do estresse e da ansiedade.

Redução do risco de ansiedade

Pesquisas evidenciam que, entre pessoas com Desordem de Ansiedade Generalizada, a substituição consciente de pensamentos negativos por pensamentos positivos resulta em melhoras efetivas do quadro de saúde.

Maior sensação de propósito de vida

Um estudo de 2010, publicado no American Journal of Orthopsychiatry, descobriu que pessoas com níveis altos de pensamento positivo relatam sentir que suas vidas têm mais significado e propósito, mesmo após eventos traumáticos.

Reforço de hábitos saudáveis

A positividade tende a reforçar-se, ou seja, quando experimentamos emoções positivas é mais fácil construir hábitos saudáveis, que atuam alimentando e reforçando a sensação de felicidade.

7. Seja grato

Por tanto tempo passamos reclamando dos nossos problemas que esquecemos que  eles também fazem parte das nossas vida.

Por tanto tempo pedimos coisas, ganhamos coisas, compramos coisas, e muitas vezes nos esquecemos de agradecer.

Se você quer tirar o foco dos problemas, precisa começar a cultivar a gratidão pelo o que se tem, inclusive pelos problemas.

A gratidão traz saúde e sucesso. Além disso, encontra a felicidade nas pequenas coisas.

Conclusão

Entendeu? Tudo está ligado! O nosso corpo e a nossa mente funcionam como uma série de engrenagens, que se uma não funciona, acaba colocando todas as outras a perder.

Por isso, fique atento a todas essas dicas e com certeza, realizando esses hábitos saudáveis, você terá uma vida muito melhor.