Categorias
Life Style

O que não te contaram sobre academia e treinamento funcional

Na academia a musculação é uma das modalidades com maior chance de ser considerado treino funcional para você, sabia?

Quando falamos em Treinamento funcional o primeiro cenário que vem em nossas mentes são treinamentos coletivos, em circuito na praia ou em praças com muita interação, utilizando de materiais como cones, corda, escada de agilidade e esse é sim um formato de treinamento que pode ser sim caracterizado como funcional, porém é necessário entender que não é a única forma de se realizar esse tipo de treinamento.

Mas o que é treinamento funcional, então?

O treinamento funcional caracteriza-se pela melhora de alguma função específica do corpo, que pode ser  relacionado a vida diária ou gesto esportivo, partindo disso fica claro que o treinamento funcional pode ser realizado em qualquer ambiente, e o ambiente da academia é sim um deles.

Nesse caso estamos falando da aula coletiva de funcional na academia?

Não exatamente, é necessário entender  e considerar  a academia na totalidade, pense no seguinte cenário:

Você chega na academia e é encaminhado para a avaliação física, onde nessa avaliação é descoberto que te falta mobilidade de ombro e possível enfraquecimento da região, o que te faz sentir dor e impede que você realize alguns movimentos em seu dia a dia, logo seu professor prescreve seu treinamento em cima dessa avaliação, e os seus  problemas pós um período de treino são sanados, ou seja agora você não sente dores ao realizar os movimentos que antes eram motivos de desconforto.

Lembrando do nosso conceito podemos afirmar então que a avaliação física unida a musculação foi um treinamento funcional pois atuou em um problema específico de sua vida.

Então esses treinamentos que ocorrem em praças e praias de forma coletiva são enganações?

De forma nenhuma, existem bases de movimentos ou elementos universais que podem compor um treinamento funcional sem que haja necessariamente uma avaliação individual previa, claro que isso depende de conhecimento profissional, do contrário o chamado treinamento funcional se torna apenas um treinamento cardiorrespiratório para gasto calórico, o que dependendo do seu objetivo pode ser funcional caso por exemplo você esteja visando a perda de peso.

Qual o melhor lugar para realizar o treinamento funcional?

A resposta é: depende, de fato se olharmos para a academia tendo em vista que teremos um treinamento prescrito em cima de uma avaliação física completa, a academia se torna um local muito capaz de sanar seus problemas, porém existem fatores que não podem ser descartados.

A motivação é um desses fatores. Onde você se sente mais motivado? Muitas pessoas relatam que se sentem mais motivados em estar treinando em grupo, interagindo com outras pessoas e criando assim novos vínculos, não que na academia criar vínculos não seja possível porem em treinamentos coletivos isso se torna mais simples.

O local onde você vai preferir realizar seu treinamento deve ser embasado no que você mais vai aderir, ou seja, não adianta você realizar o treino em um local que não gosta  e um treino que não gosta.

Academia, Praia ou Praça? Coletivo ou Individual?

Agora que você já sabe que com profissionais competentes em todos esses lugares é possível realizar o treinamento funcional, e já tem os prós e contras sobre o treinamento de forma individualizada e coletiva, resta realizar a sua escolha considerando suas dificuldades, necessidades e vontades, pois apenas assim é possível manter a adesão ao exercício físico. Abaixo para te deixar mais vivo na memória  está uma lista com os pontos a favor de cada tipo de treinamento.

Pontos positivos treinamento funcional na academia

– avaliação física. (podendo ser realizados diversos testes para identificação de problemas)

– prescrição individualizada realizada em cima do que o aluno precisa

– ambiente controlado. (não há possibilidade de mudanças climáticas atrapalharem seu treino)

– capacidade de comparação após período de treino (tendo em vista que é possível realizar outra avaliação e saber se o treinamento esta sendo eficaz ou não). 

– maior possibilidade de identificação de problemas durante os treinamentos. (por ser realizado de forma mais individual a observação do profissional se facilita nesse tipo de treinamento).

Pontos positivos treinamento funcional aula coletiva.

– maior possibilidade de interação. (maior probabilidade de criação de vínculos)

– maior motivação extrínseca  (motivação que vem de fora, podendo ser por exemplo causada pelos companheiros de treino).

– ambiente natural. (podendo gerar maior satisfação gerada pelas paisagens)

Dica Bônus!

Procure um profissional apto para realizar o treinamento funcional – hoje em dia é muito comum pessoas sem formação na área de educação física aplicarem esse tipo de treinamento pois ele pode ser realizado em qualquer local e dificilmente há fiscalização, muitas vezes essas pessoas cobram um valor mais baixo para os alunos e não tem conhecimento e preparo suficiente para aplicar o treinamento funcional de fato, podendo inclusive colocar o aluno em risco de se lesionar, piorando suas condições, e isso no fim das contas pode gerar frustração, abandono das atividades relacionadas a atividade física e possível preconceito a cerca dos exercícios físicos, tudo isso graças a um individuo sem preparo para aplicação da aula.

Caso você não tenha tido diferentes experiencias em outros locais, teste outros locais, talvez você ainda não tenha encontrado o local e tipo de treinamento que  seja ideal para você e que mais te agrada.

E ai, já fez sua escolha?

banners rocket pulsePrancheta 3
Categorias
Modalidades

Resistência Muscular Localizada: Treinos para o seu dia a dia

O treinamento de força ou musculação, vem se mostrando de fundamental importância para melhoria nos aspectos relacionados a saúde e qualidade de vida das pessoas, e o treinamento de resistência muscular localizada pode provar isto.

Eles podem ser praticados com vários objetivos, como na melhoria do rendimento no esporte, aptidão física com fins estéticos, dentre outras aplicações.

Vale lembrar, que independente do objetivo, o acompanhamento de um profissional capacitado é fundamental, pois ele será capaz de aplicar a metodologia adequada ao objetivo do aluno.

Mas como trabalhar a resistência muscular localizada?

Dentro de um programa de treinamento com pesos, há uma série de variáveis que devem ser trabalhadas, dentre elas, a RML (Resistência Muscular Localizada). A RML tem por objetivo principal, melhorar a capacidade do músculo em suportar uma certa carga e se manter sobe tensão por um maior tempo.

Esse tipo de treinamento, pode e deve ser feito por todos os praticantes de treinamento de força, desde iniciantes, idosos e pessoas que estão em processo de reabilitação.

Outro aspecto que torna a RML uma fase de fundamental importância, dentro de um programa de treinamento é que ela prepara as articulações e tendões para suportar demandas de treinos de intensidade mais elevadas, tanto em treinamentos com pesos, como também em treinamentos com características aeróbica e anaeróbica, isso sem dúvida é um mecanismo de prevenção de lesões.

Principais caraterísticas do Treinamento de Resistência Muscular Localizada

  • Volume

Nessa etapa serão realizadas uma maior quantidade de repetições, séries e exercícios.

  • Densidade

Isso caracteriza uma maior quantidade de treino em um menor espaço de tempo, sendo utilizados métodos intensificadores específicos e intervalos entre séries e exercícios menores.

  • Baixa Intensidade

Nesse momento não são utilizadas altas cargas, geralmente são utilizadas cargas entre 50% ~ 60% da capacidade máxima do indivíduo.

  • Cadência 

Na execução dos exercícios, os movimentos normalmente serão realizados de forma lenta, isso garante uma maior eficiência na contração muscular.

Benefícios do Treinamento de Resistência Muscular Localizado

Fisiologicamente há uma série de repercussões positivas ao treinamento. Boa parte dessas respostas se referem na capacidade que esse tipo de estímulos provoca na biogênese mitocondrial, modificação dos tipos de fibras musculares. Com isso, há um aumento da capacidade aeróbica muscular, aumentando o limite no que se refere a fadiga muscular. 

As fibras de contração mais lenta possuem uma característica de possuir uma maior resistência e menor diâmetro, sendo mais recrutadas em atividades aeróbicas.  As fibras de contração rápidas, possuem baixa resistência e um diâmetro duas vezes maior, que as de fibras de contração lenta. Estas são mais recrutadas em atividades de força e potência, com características anaeróbicas.

As fibras de contração lenta são a base de sustentação muscular, por possuírem o dobro do diâmetro das fibras rápidas. Por isso, se torna necessário um que em determinados períodos, a RML seja executada, afim que as fibras lentas trabalhadas para ganho de força, o que seria fundamental para um processo de hipertrofia.

Os principais benefícios oriundos do treinamento RML:

  • Melhoria da capacidade funcional do músculo;
  • Melhora a propriocepção corporal;
  • Aprendizado motor;
  • Melhora o ambiente muscular para geração de hipertrofia;
  • Capacidade de mutação das fibras musculares migrarem de fibras brancas, para vermelhas ou mistas;
  • Redução da fadiga muscular localizada;

E para finalizar

Como descrito, com todos os benefícios e independente do objetivo do aluno e do seu nível de condicionamento, o treinamento de resistência muscular localizada, se faz necessário dentro de qualquer periodização, bem-planejado. Atletas, idosos, iniciantes, pessoas que estão retornando a prática de exercícios, se beneficiam com a prática e assim, se tornam habilitados a ter uma maior duração maior dentro de qualquer modalidade de sua preferência ou no esporte, bem como, estará se preparando para ter um envelhecimento mais independente e com muito mais saúde.

banners rocket pulsePrancheta 3
Categorias
Modalidades

Cross Training: Conheça seus benefícios e diferenças do Funcional.

Acredito que você já se pegou pensando em qual a diferença entre funcional e cross training, não é mesmo? Pois, hoje tenho uma ótima notícia, irei tirar de uma vez por todas essa dúvida e te ajudar a ter novos hábitos de vida de forma positiva seu dia a dia.

Treinamento funcional X Cross Trainning

O treinamento funcional ganhou força no Brasil e invadiu as academias de ginástica se apoiando em dois pilares de treinamento, o trabalho em base instável e treinamento do core, isso ganhou bastante relevância na comunidade acadêmica e logo se tornou uma febre em rotinas de treinamento.

O primeiro ponto para isto, foi constatado que com o treinamento em base instável o praticante conseguia maior nível de recrutamento muscular, o que se pensarmos em gasto calórico em um primeiro momento seria ótimo, pois o grande motivo para se procurar uma academia é aumentar o gasto calórico diário, pois hábitos sedentários é uma realidade que contribui demais para o sobre peso e esse nível elevado de recrutamento se torna uma grande aliada na perda de peso.

O segundo ponto, se refere a contribuição para a expansão do treinamento funcional é o trabalho voltado para o core, após vários estudos foram encontrados que atletas profissionais apresentavam o core fraco e assim, demonstravam deficiência na performance em relação aos atletas que apresentavam boa força no core, então a partir daí o core ganhou protagonismo no treinamento.

Hoje é menos comum se encontrar pessoas realizando trabalho com base instável em centros de treinamento e academias de ginástica, ou até mesmo o trabalho onde o foco principal é o core, não porque deixaram de ser importante, mais sim, pelo fato de se encontrar outras formas de realizar esse trabalho, mais eficientes e seguros.

Mas afinal, como funciona o Cross Trainning?

O cross training é uma modalidade de treinamento multimodal, isso significa que irá utilizar vários tipos de modalidades de treinamento para constituir sua rotina de treinos, por exemplo, levantamento de peso olímpico (LPO), ginástica olímpica, levantamento básico (powerlifting), corrida, remo, natação, etc.

A definição de cross training não para por aqui, além de várias modalidades de treinamento, será caracterizado por utilizar exercícios funcionais, buscando-se trabalhar em alta intensidade, assim potencializando o resultado.

As principais modalidades do Cross Training

Vou te explicar agora as principais modalidades de treinamento aplicado ao cross training, algumas delas você talvez até tenha conhecimento, porém não sabe a finalidade de cada uma e o que poderão trazer de benefício para sua vida.

Levantamento de Peso

A primeira modalidade é o levantamento de peso olímpico, que consiste em dois movimentos fundamentais o Snatch (arranco) e o Clean & Jerk (arremesso), com certeza eu acredito você já ter visto esses movimentos na sua televisão, muito provável nas olimpíadas, o Snatch consiste em o atleta colocar uma barra partindo do chão para acima da cabeça em um único movimento, já o Clean & Jerk o movimento será fracionado em dois, a barra sairá do chão até os ombros do atleta e depois do ombro até acima da cabeça, ambos movimentos são poderosíssimos no ganho de potência.

Pensando na transferência do ganho de potência para sua qualidade de vida, a potência está diretamente relacionada na prevenção de quedas por idosos, pois eles estando mais potentes terão uma maior chance de evita uma queda.

Ginástica Olímpica

A ginástica olímpica, já são os movimentos que iremos praticar com nosso peso corporal, seja um simples agachamento, abdominal no solo, realizar barras fixas ou andar de cabeça para baixo, – andar de cabeça para baixo?

Isso mesmo, mas não se preocupe, não será no seu primeiro dia que você irá realizar este tipo de exercício, existe um caminho a ser percorrido, o importante desses tipos de movimentos é você ser capaz de controlar seu corpo em qualquer movimento independente da forma que você esteja.

Levantamento Básico

O levantamento básico, são os exercícios funcionais do treinamento de força, como: supino, agachamento e suas variações, levantamento terra, desenvolvimento etc, o grande objetivo desses movimentos é o ganho de força, resistência muscular, hipertrofia muscular, o que é muito importante para qualquer indivíduo.

Há anos se tinha ideia que uma pessoa saudável, era aquela que apresentava bom condicionamento cardiovascular, hoje essa percepção foi alterada, uma pessoa saudável tem sim bons níveis de força, isso foi percebido depois de várias análises em  distintos indivíduos, o mesmos apresentam maior independência nas atividades rotineiras.

Exercícios Cíclicos

Por último e não mesmo importantes são os exercícios cíclicos, esses provavelmente são os mais conhecidos, pois, correr, nadar, pedalar, pular corda dificilmente será uma novidade para alguém, são eles que irão construir uma boa base cardiovascular.

Conclusão

Para finalizar, quero que entenda que ambas as modalidades de treinamento são desenvolvidas para o praticante ter uma melhor condição física e isso de forma equilibrada, sem que uma capacidade física seja mais treinada que outra.

A busca por esse equilíbrio no treinamento, fará com que o praticante obtenha uma qualidade de vida e independência, principalmente no envelhecendo que é um processo natural e que todos estamos sujeitos.

Se você optar por esse tipo de treinamento com certeza você não terá dificuldades nas suas atividades diárias, olha que eu te apresentei situações que acontecem diariamente na vida de qualquer pessoa, além destes benefícios, garanto que sua saúde dará um salto de qualidade. O que está esperando para começar?

banners rocket pulsePrancheta 3
Categorias
Dicas Pulse

Como organizar as cargas em seus treinos de levantamento de peso olímpico?

Como organizar as cargas em seus treinos de levantamento de peso olímpico? Nosso professor Ranon Rodrigues responde.
Quando se fala em Levantamento de peso Olímpico, a imagem que se vem à cabeça são treinos com cargas elevadíssimas, onde o nível de exaustão é extremo. Na verdade, o que precisamos entender é que para se executar um bom levantamento, o ajuste da carga é um fator muito importante, que fará uma grande diferença nas sessões de treinamento. Então, vamos nos prender nesta oportunidade e entender mais sobre o ajuste da carga utilizada no treinamento. Combinado?!
Iniciaremos falando sobre as zonas de treinamento e o que cada uma delas pode te proporcionar.

Mas afinal de contas, o que é uma zona de treinamento?

Zona de treinamento é o percentual de 1 Repetição Máxima que você irá trabalhar. Repetição Máxima (1RM) é definida como a maior carga possível para se executar uma única repetição de um determinado exercício, sendo assim, a mesma definirá a carga das zonas de treinamento.

  • Zona 1: 50% a 59%
  • Zona 2: 60% a 69%
  • Zona 3: 70% a 79%
  • Zona 4: 80% a 89%
  • Zona 5: 90% a 100%

Zona 1 e Zona 2

São zonas com cargas leves onde não geram altas adaptações fisiológicas, sendo utilizadas dentro do treinamento como aquecimento e ajuste técnico.

Zona 3 e Zona 4

São as zonas de treinamento mais importantes, sendo as mais eficientes no aumento de força e potência, obtendo-se melhor relação carga/velocidade. Alguns estudos apontam que carga de 75% de 1 RM geram o maior pico de potência do movimento. Portanto, dentro do planejamento deve-se concentrar maior parte dos ciclos nestas zonas objetivando a eficácia.

Zona 5

Nesta zona as cargas de trabalho são elevadas, o que prejudica a velocidade de execução do movimento, tornando o trabalho muito restritivo, sendo utilizada em períodos de teste.
Ficou claro como devemos trabalhar as cargas?!
Não deixem de frequentar as nossas aulas de Levantamento de Peso Olímpico. Em breve trarei mais dicas de treinamento para otimizar a sua performance no CrossFit.